domingo, 25 de setembro de 2016

Botando a cabeça para funcionar nº 19

O sol curioso espichou seus olhos
pelas ruas e becos da cidade
percorreu todas as esquinas e vielas
somente para me encontrar

Distraída não vi o seu sorriso
e nem respondi ao seu acalorado bom dia
persistente e luminoso 
envolveu-me com seu calor
começamos a conversar

Falamos de tantas coisas
falamos de tudo e tanto
e nesse diálogo inusitado
fui redescobrindo o mundo

Outro modo de ver o mundo
descortinou no meu coração
o que antes via com amargura
chegava-me agora com doçura

Meu peito inflou-se de amor
descobri essa beleza de sentimento
ao contemplar o dourado do sol
que envolvia aquela cidade cinzenta
dando-lhe beleza e vigor

Em cada aurora
o sol rompe a madrugada
abençoando mais um novo dia
para vivermos um grande amor


Esta é a minha participação 
em mais uma edição
Participe também! 

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Fábrica de sonhos

No meu livro de poesias
sou um pequeno escultor
gosto de lapidar palavras
e escrever versos de amor

Construí uma fábrica de sonhos
dentro de uma bolha transparente
fiz do meu cavalo o amigo gente

Peguei um lápis colorido
e rabisquei um planeta sem cor
com os arcos do arco íris
fiz um jardim cheio de cor

Usei papel dobrado
anil da cor do céu
em lindas borboletas
eu o transformei
dei-lhes vida e movimento
só com a magia do pensamento

Construí um baú de estrelas
para guardar o que não cabe
em lugar nenhum
guardei a paz que necessitamos
e a máquina do tempo
onde repousa os pensamentos
de um tempo que volta mais

E nesta fábrica de sonhos
usei palavras... muitas palavras
e quando percebi o meu invento
um poema de momento
saiu do meu pensamento
(Gracita)